segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Nova personagem

Entrou em cena há mais de dois meses e chegou descalço. 


Não que tenha um papel discreto ou queira passar despercebido; se assim fosse não chorava como CHORA quando o estômago começa a registar níveis mínimos...Enfim, mas até se compreende, uma vez que o guião só lhe permite manifestar-se através desse som e não lhe atribuiu, para já, quaisquer palavras...

Outra coisa com que parece ter afinidades é com a D. Preguiça... Gosta de dormir manhã dentro e ainda nunca se pôs de pé... Sempre deitadinho e bem tapado, sim porque o tempo anda muito frio,não?
De exercício, quase nada...só trabalha mesmo os músculos faciais, faz muitas agitações de braços e dá imensos pontapés para o ar, principalmente quando se vê livre da indumentária obrigatória - aquela acolchoada e impermeável!

Mas meu menino, não julgues tu que os dias serão sempre esse "bem-bom"! Terás que pôr-te de pé, fazer pela vida e dar os teus passinhos... Para ajudar nessa conquista fiz-te estes sapatinhos em feltro de lã


São rápidos de calçar e decidi alegrá-los com uns barquinhos em appliqué, o mais apropriado por viveres no Algarve!


Hei-de concerteza costurar mais para ti, até porque por enquanto pouco mais posso fazer nesta performance de "tia à distância"!


PS 1. Estive a falar do Marauzinho, digo do P.,o filho da Tirsa (my sister) e do Zé Marau e com isto ficam completas as apresentações. :)

PS 2. Os moldes dos sapatinhos encontram-se no nº 7614 da Burda Creative.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Reivindicações atendidas


Parei o trabalho muitas vezes...

...para observar e ver se estava a ir bem,
...para comparar com a primeira,
...para contar as carreiras feitas e as que faltavam fazer,
...para ler as notas do workshop e perceber o que devia fazer a seguir,
...e para apanhar as malhas caídas.

Parei, sim, mas retomei e continuei até ao fim. Seguindo os apontamentos da Retrosaria consegui fazer a segunda meia sozinha. Viva!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Espargos selvagens

Antes de vir viver para o Alentejo não sabia identificar uma espargueira e jamais tinha colhido um espargo selvagem. No entanto, pouco tempo depois de cá estar, logo descobri que esses pequenos arbustos crescem em terras não lavradas e onde vingam melhor é à beira de muros antigos e de oliveiras retorcidas.
Neste fim de semana apeteceu-me tomar um banho desta invulgar luz de Janeiro. Agarrei num cestinho de verga e convidei uma das cadelas para ir comigo. Nem respondeu; pôs imediatamente as patas ao caminho, não estivesse ela convencida que a sua missão de vida é ser minha body guard...



Para apanhar espargos é preciso não ter pressa.
Tem que se olhar com atenção para a espargueira, pois os seus rebentos podem estar "camuflados" e depois cortar as pontas mais tenras. Assim, lentamente, vai-se compondo o cesto.
Desta vez andei cerca de uma hora e meia na colecta, mas valeu a pena porque consegui uma boa quantidade, da qual fica esta pequena amostra...

( Legume muito completo, rico em vitaminas, fibras solúveis, ácido fólico e protector do sistema cardiovascular)


Os espargos renderam dois jantares: no primeiro fi-los com ovos mexidos e no seguinte juntei-os a uma açorda simples. Frescos, deliciosos e revigorantes... destes duvido que os haja em qualquer restaurante caro da cidade...

sábado, 21 de janeiro de 2012

Eco Bag em Quatro Passos


Como  se dobra o eco bag por  forma a ficar arrumado dentro do seu próprio bolso? 
Vejamos os passos a seguir.


Antes de mais, há que o estender na posição seguinte, ficando o bolso para fora.



De seguida viram-se as laterais para o centro e dobra-se 3 vezes para cima, no sentido do bolso.


Por fim, aconchega-se o saco dentro da bolsa, que se fecha ajustando a presilha ao botão.


Fácil, não é?!

Pequenos passos nossos podem ser passos de gigante em prol do planeta!


(Informações /Encomendas através do e-mail diasascores.heartmade@gmail.com)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Eco Bag


Plástico ou papel? Nem uma coisa nem outra, porque são materiais de  vida curta e teríamos uma montanha deles à nossa porta, por cada um que vai para o lixo. Penso que a estratégia mais eficiente é evitá-los sempre que possível e se conseguirmos fazê-lo com estilo, tanto melhor.
Num livro costura criativa encontrei este modelo simples de executar e com o tamanho indicado para trazermos para casa as compras do dia a dia. Pus mãos à obra e resultou assim


Para a alça e bolsa interior reutilizei sobras de tecidos e para o corpo linho 100%. Pela primeira vez fiz "costuras francesas", que resultam num trabalho muito mais bonito e perfeito do avesso.


O bolso interior é simultaneamente uma bolsa onde se recolhe o saco e no "próximo episódio" mostro a técnica para o dobrar de forma a que fique todo aqui dentro...


...e se transporte dentro da nossa mala, de modo a estar sempre à mão.

Por hoje só me resta dizer-vos que não há dia em que o leve a uma loja ou ao mercado que ele não receba um elogio... Lucky Eco Bag!:)

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Book review


A contracapa fala de um romance de amor, mas eu contei três. Uma história moderna, urbana, empolgante, com versos disfarçados de frases, poesia dissimulada de prosa, que se começa a ler a passo e se termina, sem fôlego, a galope.
Certas passagens fizeram-me virar a capa para me certificar que o autor era um homem.David. Sim, é nome masculino! Como tal, confesso que fiquei  perplexa e ligeiramente intimidada com o facto de haver homens a descrever tão ao pormenor o avesso feminino...

domingo, 15 de janeiro de 2012

Meia feita!


Ok, admito é mais soquete do que meia, mas o propósito era aprendermos a fazer o canelado,o calcanhar e a biqueira (à portuguesa). A "perna" da meia não tem nada que saber- é só tricotar em círculo-  daí apenas termos tricotado 4 ou 5 carreiras, até porque o tempo do workshop urgia.
Fiquei contente e motivada pela conquista, afinal a minha primeira meia é calçável, ficou pronta numa semana e de dia para dia, noto que estou a ganhar destreza com as agulhas de bambu que, de facto, deslizam melhor do que as tradicionais!


Sózinha não teria conseguido! Portanto,obrigada a todas as colegas que participaram na formação pela simpatia e pelas horas de boa disposição; e obrigada Zélia e Rosa  por se disponibilizarem a ensinar...a ensinar a fazer bem!
Se houver quem quiser aprender, aconselho a não perder de vista estas duas, pois por lá ouvi uns zumzuns que é capaz de haver mais!

Quanto a mim, daqui em diante, cabe-me praticar, praticar, praticar...Caso contrário ainda me vejo metida em trabalhos com a UGP (União Geral dos Pés) ! ;)


sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Pôr-se a andar


Foi a minha única New Year's resolution para 2012.
Decidi apostar numa caminhada vigorosa de 30 min. por dia.
A decisão avançou porque me pus a pensar que os passeios diários que dou com os cães -embora sejam um bom ponto de partida-  não são suficientemente exigentes do ponto de vista físico e 15 min. para lá e 15 min. para cá, não hão-de causar transtornos na minha agenda!
Para manter o ritmo achei que ficava cool and trendy - como vi por todo o lado em Londres - arranjar uns auscultadores e um MP4 ...Portanto agora lá vou eu, ao som das canções da M80 (ainda não me dei ao trabalho de aprender a gravar música no aparelhómetro) dar gasto aos ténis e acelerar o metabolismo.
Podia ter optado por me inscrever num ginásio, fazer natação ou praticar outra modalidade num dos gimnodesportivos da zona, mas não!...Tenho demasiado preguiça para  ter de me meter no carro com o propósito de ir fazer exercício físico, para vestir  fatos de banho, óculos e toucas apertadas, para tomar duche fora de casa, para trocar de roupa ou de equipamento em cubículos exíguos, para cumprir horários e regras de jogos...That's it, acho que é mesmo por ser preguiçosa que me pus a andar!

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

As Meias de Lã Que Eu Gosto

...são assim
(Foto retirada de responsiblygorgeous.co.uk)


(Foto retirada de aervilhacorderosa.com)


(Foto retirada de essaseoutras.com.br)
Às cores, exuberantes, não muito grossas, nem muito finas e que dêem para puxar até ao joelho.
Gosto de as ver a espreitar dentro de botas altas e que mesmo assim saltem à vista, pelo seu "não sei quê" de extravagância.

E que acham destas, acentuadamente mais femininas, que encontrei à venda aqui . Também não são lindas?!


(Foto retirada de ilovelowie.com)
Mas sejamos práticos, haverá melhor receita para não nos queixarmos do Inverno, do que manter os pés quentes, amornar o coração com uma chávena de café e ler uma boa história?!

(Foto retirada de isabeaupeep.com)

domingo, 8 de janeiro de 2012

Tricotar Meias


Para quem há poucos dias regressou da cloudy and showery London, onde as quatro da tarde não são quatro da tarde, mas já quatro da noite, este fim de semana cheio de luz e Sol relembra o quão bafejado pela sorte foi o nosso país ao tirar a rifa da latitude...
O dia bonito ajudou a viagem.
No Sábado fui até à Retrosaria, na Rua do Loreto, mesmo no coração de Lisboa, no desejo de conseguir aprender a tricotar meias de lã.
O desafio desta primeira sessão era tricotar "a perna" da meia e o calcanhar; a biqueira fica para a segunda sessão e entretanto, como trabalho de casa, temos de tricotar o pé.
Para quem -como eu- namorou pouco com o tricot e só se sente à vontade a fazer cachecóis em malha meia ou liga, tricotar meias em círculo, com cinco agulhas de bambu que mais parecem pauzinhos de espetadas caseiras, será um feito épico! A semelhança que me ocorre é a de pôr um ocidental a comer arroz com desenvoltura, com dois pauzinhos ...Bem, mas se  na próxima semana conseguir ter uma meia pronta, os níveis da minha auto-confiança hão-de disparar!... É que saí de lá com a ideia que isto é mesmo coisa de mulheres espertas! ;)


terça-feira, 3 de janeiro de 2012

For 2012 I Wish You All...

                  Lots of Love, 
                           EnOugh Money, 
                     Good News,  
          Some WisDom,
                             NO Fights,
                  Happy Nights!